quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

always so close to me

Como deveria ser a propaganda de um banco?

Discuti muito esse assunto na faculdade. (Será que alguém que não é comunicólogo se interessa por esse assunto? Mas o blog é meu, discuto o que eu querer, ok? hahah)

Qual a primeira coisa que se pensa quando se fala em bancos?
Grana, juros, taxas, tarifas, instituições filhas-da-puta-comedoras-de-criancinha, certo?

E tá aí um grande desafio para relações públicas, marketeiros e publicitários: qual a imagem que um banco deve passar para os seus públicos? E como trabalhar com o preconceito e a imagem negativa inatas desse mercado?

Tirando o óbvio de segurança, cada banco investe em um diferencial.
O ABN Real aposta na sustentabilidade, e é muito bem sucedido nessa frente. Quando se pensa em um banco que cuida do meio ambiente, qual o primeiro que vem à mente? Real.
O Itaú começou sua campanha de popularização, sendo um banco "Feito para você". E o Santander? Após anos da compra do Banespa, tenta buscar um valor, ainda não muito claro, mas investe na inovação.

O brasileiro tem um perfil diferente do americano ou europeu: gosta de comerciais criativos e emotivos. Então comerciais que dão certo aqui geralmente têm esses ingredientes.

A parte da emoção fica evidente nas campanhas de Natal e fim-de-ano, nas quais os bancos também apelam para conquistar nossos corações de manteiga derretida.

Entretanto, um banco me surpreendeu muito com sua nova campanha. É emotiva, mas leve e abrangente, sem ser piegas e me tocou profundamente. Os sorrisos, as conquistas, os sonhos. Eu me vi e me reconheci no comercial. E a música é simplesmente linda e viciante. Até chorei.

cliquem no Play e tirem suas próprias conclusões.

A letra tá em inglês, mas é fácil-fácil de entender.

3 comentários:

Ricardo disse...

Bom, e eu aqui, o corno, fiquei na mesma que não consigo ver vídeos aqui... merda...

Abraço...

Ricardo disse...

Ah, é bloqueio no servidor mesmo... tenho que lembrar e ver de casa!!!

Bjão!

ludo diniz disse...

Não sou comunicólogo, mas gosto de propagandas.
Essa do citi realemente ficou legal. Só achei americanizada demais. Se dessem uma naturalizada na propaganda ficaria perfeita, mesmo com a trilha sonora em inglês, afinal, o citi busca um público sofisticado que teoricamente entende a língua.
Outro banco que tem uma estética bonita é o Credit Suisse. Tudo muito clean e discreto. Mas nas propagandas também só traduzem os textos.