quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

yogas

Minha mãe me viu praticando yoga e ficou passada com o suor, a vigor, a velocidade das posturas e o som da respiração.

- Achava que era algo pra ficar sentado, parado, um tédio.

Pois é, Ioga tem inúmeras modalidades, e não é tudo a mema coisa não.

Cheguei a um ponto em que nem a power yoga, muito menos a hatha yoga clássica me davam tesão. Tesão? Tá, não é a melhor definição, mas é bem-estar e plenitude.

As primeiras vezes que pratiquei em 2000, ainda no Sesc Vila Mariana, foram incríveis. Saí com uma sensação de felicidade, prazer e calor indescritíveis. Motivado a querer sentir mais disso, comecei a fazer aulas.

Mas cada dia que passava, essa sensação ficava mais difícil de se sentir. Comecei a achar tudo tão chato! Aí conheci a power yoga. Muito mais dinâmica. Forçava o físico e eu me sentia o máximo. Gostava quando a professora "pegava pesado" e deixava os alunos reclamando.

Mas até essa prática me deixou bodiado.

Agora eu sinto cada vez mais e mais esse prazer, realização e plenitude com o Ashtanga. Apesar de entrar mudo e sair calado da aula, estou me conhecendo cada vez mais e tenho tido ótimos insights. Saio das aulas ensopado e acabado, mas pleno. Perdi o ônibus? Melhor, não era pra ser. Metro lotado? Espero o próximo. Gente buzinando? Que pena dessas pessoas infelizes.

Essa matéria não é das melhores, mas fala a diferença básica das modalidades. Clique aqui e confira!

Um comentário:

David ®... disse...

depois q eu comecei a praticar yoga entrei nessa vibe tb.
atualmente, pra mim, nada é tão emergencial. tudo pode ser feito a seu tempo.
não tenho mais pressa pra atravessar a rua, para almoçar (eu ate dou descanso para os talheres)...enfim..foi uma boa mudança
e de quebra ainda ganhamos um corpinho melhor..rs