quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Reveillon da Bill - Parte 1


O que você faria se recebesse um convite para passar o reveillon do cara que você está a fim? Ainda mais em um lugar paradisíaco...

Pois bem, foi isso mesmo que eu fiz! Mesmo ele sendo ht. HT? É! Aquele.

Fui com uma trupe para perto do lugar do desabamento. Mata Atlântica, paisagens exuberantes e povo bonito – e rico.

Nem prestei atenção em quem mais iria, afinal, a dona da casa e o namorado dela são meus amigos também e quem sabe, eu não desencalhava? Detalhe que apimenta a história: eles não sabem que sou viadeenho.

No meio do planejamento, o Zé solta que vão duas amigas da Cida, dona da casa, e que elas iriam no MEU carro. Olha a minha cara de felicidade. Ok, faço o sacrifício por pedágio e combustível mais baratos.

No dia da viagem, a Marlene Mattos berrava no meu ponto para eu não viajar à noite. Vou bancar a RBD? Não! Obedeci e liguei para todos adiando para a manhã seguinte. Mas era manhã mesmo, antes do sol raiar. Mas a tal raxa mora longe de casa, longe de metrô e qualquer meio de transporte que funcione às 4h da manhã.

E o Zé ficou sensibilizado. Queria que eu fosse buscar a raxa lá nos cafundós e voltar tudo para pegar a estrada. Eu já tava puto e com mavon, afinal, ia só ela no carro, segurando vela. E o agravante: a Cida tinha dito para o Zé que a tal amiga era o estilinho dele. Ai ai ai...

No final, a raxa teve simancol e fez a Angélica. Baixou de táxi na frente do meu prédio pontualmente no horário combinado. Fomos - eu e a raxa - pegar o Zé no metrô. Ele chegou e a raxa se colocou em seu lugar: foi pro banco de trás! hihihih

Ameninades conversadas no trajeto, mas a minha intuição uterina disse que fadinhas estavam dentro do meu carro, e não eram pra mim.

Chegou a hora da pausa prum xixizinho.

E que maravilha é o mictorio, não? Acho que é a invenção do milênio. Além das vantagens de tempo (quase nunca há fila para usar), praticidade (é só por pra fora e mijar; nada de fechar porta, levantar assento, etc) gasta menos água, ainda podemos dar uma conferideenha no pau alheio. Incrível, néam?

E lá estava eu e Zé. Um do lado do outro. Conversando. Foi meio constrangedor porque eu não tirei o olho do bichinho. Lógico, né, gente? Quando eu teria oportunidade de ver a mala dele de novo? Vai que ele é ht mesmo e eu não consigo me aproveitar dele durante a trip? E o FDP ainda levantou a camiseta...

continua...

7 comentários:

FOXX disse...

nunca tinha pensado em tantas possibilidades para um mictório!

Maria disse...

Ahhhhhhhhhhhhh tou morrendo de curiosidade!!!! Posta logo a continuação.

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
wendedel disse...

ain meu deus me passam taaantas possibilidades pra esse banheiro... hihihi

Se o "se" não tivesse ficado só no "se" disse...

Háháháhá, só pra vc me animar mesmo....adorei suas gírias....bancar de RBD....fez a Angélica...adoreiiiiii, ansiosa pra segunda parte....

Alysson-Syn disse...

AMO MICTÓRIOS! ahuahuahuahuahuhahauha
E amo mais ainda quando levantam a camiseta, dá pra ter uma vista completa do playground!!!

Mas Venenoso, na boa: desencana de HT! 9 de cada 10 envolvimentos com HT acabam em frustração e perda de tempo...

Abração!

Diih Modestto disse...

hauahaua, pior qe eu concordo cm o Alysson.
é foda se envolver cm heteros --'