quarta-feira, 28 de outubro de 2009

preconceito homossexual - por içami tiba

Gente, pausa o mundo, um pouquinho soh?

Afff.... sem tempo pra nada.

Enfim, li essa semana um texto muito interessante do educador Içami Tiba sobre preconceito homossexual na escola. Ia colar o texto aqui, mas tem um aviso meio grande dizendo que precisa de autorização. Ok, estamos na internet, mas deu preguiça de explicar o que é meu blog, que eu falo assim mesmo e etc etc etc.

Colo um trecho e quem tiver interesse, leia o artigo completo no UOL, ok? ;-)

Os hormônios masculinos e femininos podem contribuir com estas características, mas o fator cultural tem maior força. Como todos os outros, o preconceito homofóbico é cultural, pois não se nasce com ele. Não se escolhe ser homossexual, nem heterossexual.

Uma criança faz o que tem vontade, brinca com o que lhe agrada e com o que lhe faz sentir prazer. É o padrão cultural do seu entorno que qualifica se suas ações são masculinas ou femininas. O mundo foi dominado por muito tempo pelos masculinos, que acreditavam no machismo (crença de que homens são superiores às mulheres e aos diferentes). Estes preconceitos foram assimilados por seus filhos, que os praticaram com seus circundantes.

As mulheres são diferentes e complementares, mas não inferiores aos homens. Os machos sempre combateram o diferente, principalmente o homossexual. Até hoje, no Brasil, a cada dois dias um homossexual é assassinado por intolerância. Tais crimes são cometidos geralmente por machos homofóbicos. Seus filhos vão ser intolerantes com os colegas diferentes, que nem precisam ser homossexuais, por meio de bullying, ironias, rejeições, segregações, agressões etc. Basta que tenha modos, gosto, cor, religião, altura ou tipo corporal diferente para serem alvos de preconceitos.

http://educacao.uol.com.br/colunas/icami_tiba/ult6425u27.jhtm

3 comentários:

Sol disse...

Içami Tiba é um grande educador. Li um livro dele, "Quem ama, educa" quando a Aurora nasceu, por puro medo...rs
O preconceito é medo também do diferente, daquilo que a gente não conhece ou não entende. Acho mesmo falta de respeito ao próximo. Infelizmente existe, e cabe a cada um descobrir o seu e tentar mudar. Bjos :D

Se o "se" não tivesse ficado só no "se" disse...

Ótimo texto né..., o governador do Estado do Paraná, Roberto Requião devia ler isso pois foi extremamente preconceituoso ele associar câncer de mama masculino à paradas de orgulho gay.

FOXX disse...

eu concordo com ele
ninguém nasce nem gay, nem hetero, a gente aprende...