segunda-feira, 16 de novembro de 2009

alado


Passei um aniversário low profile este ano. Nada de comemorações gigantescas, fervo, discotecagem em balada underground nem festeenhas na sauna.

Me entreguei à introspecção e rever, repensar e planejar o rumo da minha vida. Estava organizando o meu quarto na virada do meu aniversário.

Recebi uma ligação dazamiga cantando parabéns pra mim meia-noite. Achei fuofíssymo! E elas me chamaram pra dar um puleenho no Athenas pra tomar uns drinks de comemoração. Eu mais que aceitei!

Assim que desliguei o telefone, fui até o guarda-roupa, que fica perto da janela, pra pegar a lingerie roupa limpinha. Como esses dias o calor está demais, deixei a janela escancarada.

E eu nem sabia que o meu segundo presente de aniversário já estava a caminho? Um presente alado. Nem em meus sonhos de menina eu imaginei ter um Pégasus, aquele cavalo alado leendo! E acho que esse foi o problema. Como nunca imaginei, não veio.

O que veio foi uma barata voadora gigaaaaante que entrou no meu quarto pela janela. Ainda bem que eu vi. Desceu pela cortina, sem a menor cerimônia.

Fui correndo até o banheiro pegar o meu Baygon. Eu vi a bichinha, mirei nela e... nada. O botão tava duro. Não conseguia...e a barata entrando cada vez mais nas profundezas do meu quarto.

Olhei que o botão estava destravado. Então, por que, meldéls, não dava para apertar e assassinar a invasora?

Lá estava ela. Na parede, entre a cortina e a parede do guarda-roupa, em um espaço minúsculo. Apontei e shhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh.

Ela saiu correndo. Pra cima de mim. Eu gritava cada vez que ela se aproximava. E mais jatos de pó branco nela. Minha mãe levantou e veio me dar apoio moral:

- Pára com essa viadagem! Vai acordar os vizinhos!

Por que raios ela vem na minha direção? E eu afoguei tanto a barata com o Baygon...

- Já chega, ela vai morrer. - disse a minha mãe.
- Eu só paro quando ela parar também!

E lá estava, o meu presente de aniversário, agonizando, mexendo só as antenas. Fechei a janela para evitar que outras entrassem. E o cheiro?


Pedi para minha mãe recolher o cadáver e da um fim nele.
Qualquer ser vivo num raio de 30 metros do meu quarto morreria envenenado. Fato.
Fui para o Athenas e deixei um mega ventilador da Beyoncé para dissipar o cheiro.

E, quando voltei, dormi no quarto de mamãe.


***


>>> Drico, é a vida. O cupido vai soltando loooocamente as flechinhas por aí.


>>> Ruy, nunca te encontro no msn de noite. Anda atendendo, néam?


>>> FOXX, ainda bem que nao vejo o bofe todo dia. Aí sim seria um orangotanfo que ia pagar!


>>> Redneck, preferi ficar bem do quietinho. Queimar o filme no meio profissional que é um ovo é f*da.


>>> SAM, gaydar mega falho desde sempre. Veio com problema de fabricação!


>>> Se, :)


>>> Jacinto, tadiiinho! Ele pelo menos fala comigo heheh


>>> Arsênico, desisti fácil, mas bofe nenhum compensa ser mal falado no meio profissional, néam?

8 comentários:

FOXX disse...

kkkkkkkkkkk
rindo aqui com o q sua mãe disse...

João disse...

Nao sei o seu nome, mas acompanho seu blog ha uns 2 meses e acho interessante... vc escreve o cotidiano de forma simples e engraçada... soh acho que vc deveria atualizar mais!
beijo!

Se o "se" não tivesse ficado só no "se" disse...

Aí pára, isso aqui tá parecendo infecção urinária, n páro mais de mijar de rir (nossa, a piada foi péssima, mas nem todos tem seu talento nato)...Puta viadagem mesmo, n rola um havaiana? Muito mais simples....e parabéns?

Maria disse...

Estou rindo faz horas pra tela do computador.Venenoso, você é engraçado demais! Só vc mesmo..

Anônimo disse...

viadagem ao extremo mesmo

Ruy disse...

Meu problema é com os ratos, as baratas nao me apavoram tanto.

Raro eu entrar a noite, mas vou dar um jeito de aparecer. Beijo

wendedel disse...

só posso dizer: viado, viado, viado... kkkk adoooro

bjos

Lady Metal disse...

Dizem que as baratas só voam quando estão para morrer, mas não sei se é verdade. Por via das dúvidas, baygon nelas!